Paulo Freire e sua importância na educação brasileira

Paulo Freire e sua importância na educação brasileira

set 19 | Larissa Vilarinho

O que seríamos sem a educação? Uma pergunta simples e muito reflexiva. A educação é a base de tudo. E, quando se fala de educação, com certeza você já deve ter ouvido o nome Paulo Freire. Mas você sabe quem ele foi e sua importância para a educação no Brasil?

Filho de um policial militar e uma dona de casa, Paulo Reglus Neves Freirre nasceu em 19 de setembro de 1921 em Recife. Sua trajetória na educação começou com a ingresso no Colégio Oswaldo Cruz, por meio de bolsa concedida pelo diretor. Tempos depois, Paulo se tornou auxiliar de disciplina e, a seguir, formou-se em professor de Língua Portuguesa.

Em 1943, começou a faculdade de Direito na Universidade de Recife. Em 1947, foi nomeado diretor do Departamento de Educação e Cultura, do Serviço Social da Indústria, iniciando um trabalho com a alfabetização de jovens e adultos carentes e de trabalhadores da indústria.

Posteriormente, em 1959, Paulo passou no processo seletivo para a cátedra de História e Filosofia da Educação, da Escola de Belas Artes de Recife, com a tese “Educação e atualidade brasileira”.

Depois disso, o professor se tornou diretor do Departamento de Extensões Culturais da Universidade de Recife em 1961, o que possibilitou que realizasse os primeiros projetos mais amplos com alfabetização de adultos, que culminaram na experiência de Angicos (Rio Grande do Norte), em 1963.

Angicos

Através do seu conhecimento e sensibilidade, o professor buscou alfabetizar e politizar os povos daquele lugar. A região era marcada por trabalhadores rurais, domésticas, pedreiros, entre outros profissionais que não sabiam ler e acreditavam que a leitura poderia fazê-los ‘mudar de vida’.

Em resumo, durante a experiência Angicos, cerca de 300 pessoas foram alfabetizadas em 40h percorridas durante um mês. Esse é o feito mais marcante de Paulo Freire no campo da pedagogia.

O educador brasileiro usava a metodologia de escolha das ‘palavras geradoras’, comuns no vocabulário local, por exemplo: cimento, tijolo, vassoura, enxada, terra, colheita, entre outras. O método usava essas palavras e, a partir da decodificação fonética dessas palavras, iam se construindo e associando novas palavras, aumentando assim o repertório dos alunos.

Ditadura

Os pensamentos do educador fizeram com que ele fosse visto como subversivo durante o regime militar. Ele foi preso por 70 dias e depois exilado por 16 anos.

Paulo defendia que a desigualdade entre as classes sociais provocava opressão das classes mais favorecidas sobre as classes populares. Além disso, durante sua trajetória, o educador defendeu o ensino como forma de despertar a crítica do estudante e fazer com que ele buscasse ampliar sua consciência social e atingisse autonomia.

Durante o tempo exiliado, Paulo escreveu o livro “Educação como prática da liberdade”. Ele era um defensor de que a educação deveria ser prática libertária.

Obras e destaques

O educador tem 40 livros publicados que até hoje são usados e citados em trabalhos acadêmicos e por estudos pedagógicos em todo o mundo. Entre as obras, a mais conhecida é “Pedagogia do Oprimido”, que destaca o fato de a educação ser o caminho para o despertar da visão crítica e a formação de sujeitos que busquem mudar sua realidade.

Apesar de ter morrido em 1997 aos 76 anos, Paulo continua sendo um ícone da educação brasileira, sendo um dos nomes mais respeitáveis para o embasamento teórico de pesquisas relacionadas à alfabetização.

Por seu trabalho, recebeu 41 títulos de doutor honorário em diversas universidades do mundo, inclusive Harvard e Oxford. Além de vários prêmios, por diferentes países e organizações, dentre eles o Prêmio Andres Bello, da Organização dos Estados Americanos (OEA), como Educador dos Continentes.

Dia Nacional do Educador Social

Como forma de homenagear Paulo Freie, o dia de seu nascimento, 19 de setembro foi escolhido como o Dia Nacional do Educador Social.

Em resumo, um educador social é um profissional que utiliza ferramentas pedagógicas para intervir nas problemáticas dos indivíduos. Este é responsável por atividades pedagógicas, que visam a promoção e a integração social de pessoas em situação de risco, excluídas ou em vulnerabilidade social.

Fontes: Brasil Escola | Escola da Inteligência | Wikipédia

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail para receber novidades !

Português

Português

Português

Português

Português

English

Français


Português

English

Français

Português

English

Français

Português

English

Français