#SomostodosChapecoense

 

A dor assola o povo brasileiro. Não há time, cor, credo, condição social ou qualquer outra diferença que deva nos afastar nesse momento tão difícil.

É tempo de união e solidariedade às famílias de atletas, dirigentes e jornalistas, cinegrafistas, fotógrafos e outros profissionais que perderam suas vidas num bom momento profissional, de grande felicidade e reconhecimento.

E se cabe a nós jornalistas mostrarmos ao mundo as conquistas e curiosidades, cabe também, e lamentavelmente, anunciar tragédias como essa, que paralisam pensamentos e trazem à flor da pele todas as emoções e o sentimento de impotência diante da morte improvável e imprevista.

A tristeza nos paralisa. O que fazer? Acender uma vela,  vestir-se de branco, colocar flores num local que simbolicamente represente nossos irmãos brasileiros cheios de sonhos, alguns em início de carreira? Não sei, mas dedico a todos meu respeito.

Às famílias dedico amor e solidariedade. Queria abraçar a todas. Nesse momento somos todos Chapecoenses. Estamos em oração por pais, mães, irmãos, esposas, filhos e parentes que perderam alguém nesse acidente ainda inexplicável.

Que haja minutos de silêncio, homenagens,bandeiras a meio mastro, aplausos. Que as lágrimas rolem  pelos mortos e pelos vivos, que terão que carregar a dor que é de todos nós, mas que certamente sangrará muito mais intensamente no coração das famílias.

Jornalista vive em busca da melhor notícia, da melhor imagem, do melhor ângulo, da melhor  manchete. E essa, definitivamente não é a que gostaríamos de dar. Manchete dolorosa, sofrida, desesperada.

#SomostodosChapecoense. Que Deus conforte os corações e cure as feridas da alma.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *