Leitura de poesia melhora funcionamento do cérebro

6 exercícios para trabalhar o gênero em sala de aula 

Quem nunca ouviu ou disse a frase, “ler faz bem”? Muitos pesquisadores comprovaram que ler aumenta as conexões neurais e faz o nosso cérebro funcionar melhor. A leitura também pode ser mais eficiente para a cura de algumas doenças emocionais do que livros de autoajuda.

Um dos segmentos mais indicados nesses casos é a poesia. Segundo um estudo desenvolvido pela Universidade de Liverpool, ler esse tipo de literatura faz disparar a atividade do cérebro quando o leitor encontra palavras incomuns ou frases com uma estrutura semântica complexa, mas não reage da mesma forma quando esse mesmo conteúdo se expressa com fórmulas de uso cotidiano. O motivo para tal fenômeno acontecer é a forma com que o poeta utiliza fatos corriqueiros do dia a dia para exprimir sentimentos que não se encontram em absoluto nas emoções tais como elas são.

Eles descobriram que a poesia afeta o lado direito do cérebro – onde são armazenadas as lembranças autobiográficas – e ajuda a refletir sobre elas e entendê-las desde outra perspectiva.

“A poesia não é só uma questão de estilo. A descrição profunda de experiências acrescenta elementos emocionais e biográficos ao conhecimento cognitivo que já possuímos de nossas lembranças”, explica o professor David, responsável da pesquisa.

Após esse descobrimento, os especialistas buscam compreender como outros tipos de literatura afetam a atividade cerebral.

Agora que já sabemos dos benefícios das poesias, que tal, aplicar algumas atividades utilizando esse gênero textual em sala de aula?

 Exemplos de atividades:

  1. Inicie a aula recitando poemas curtos ou apenas alguns versos e faça perguntas aos alunos a respeito do texto, como: quem é o autor? O que ele estava pensando quando escreveu? Qual o assunto do texto?

Depois, faça uma roda para conversar sobre poesia. Leia informações básica sobre o gênero e deixe os alunos contarem suas experiências, como quais livros de poesia já leram, autores favoritos, etc.

Caso ninguém tenha lido livros de poesia, tenha em mãos alguns títulos para que eles possam levar para ler em casa. Os sebos costumam vender boas opções com preços em conta.

  1. Proponha que os alunos façam uma pesquisa sobre poetas brasileiros e estrangeiros, valendo ponto para juntar com a nota da prova.
  1. Organize a turma em grupos e faça trabalhos para exercitar rimas e regras de pontuação.
  1. Proponha a criação de uma poesia coletiva, em uma cartolina grande. O tema pode ser sugerido pelos alunos e escolhido por votação. Antes da atividade, leia uma poesia de um autor conhecido para inspirar o grupo.
  1. Organize um sarau de poesias na escola. Uma sugestão é convidar um autor para conversar sobre seu processo criativo, inspiração, temas favoritos, diferenças de estilo e, claro, recitar poesias para a garotada. Essa aproximação é uma forma de garantir o envolvimento dos estudantes.
  1. Faça um concurso de poesia. A escolha dos vencedores pode ser feita no pátio da escola, em uma festa ou aula aberta, para que todos possam participar.

As poesias escolhidas podem ser organizadas e diagramadas na aula de informática e impressas no computador para que os alunos guardem de lembrança.

Inspire-se nestas ideias e mãos à obra!

E se você quiser uma sugestão de livro de poesia para trabalhar com seus alunos, conheça “Fases Intimistas”, de minha autoria. 

https://www.amazon.com.br/Fases-Intimistas-Isa-Colli/dp/8554059115

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *