Famílias precisam assumir a educação e não apenas a criação dos filhos 

É essencial ensinar a lidar com as frustrações 

Quem é pai ou responsável pela educação de uma criança frequentemente se vê diante de dilemas e dúvidas sobre qual o melhor caminho a seguir; qual atitude tomar. Isso faz parte da vida. É verdade que não existe uma fórmula pronta para educar, mas é necessário estar atento porque os ensinamentos da infância poderão refletir no comportamento da pessoa na vida adulta.

Em uma entrevista que viralizou nas redes sociais, do portal Pensar Contemporâneo, o psicoterapeuta Leo Fraiman, que é mestre em psicologia educacional e do desenvolvimento humano pela Universidade de São Paulo (USP), faz um alerta aos pais.

“Se uma criança não é treinada a esperar, a criar, a negociar, a ceder e a se frustrar você está aleijando a criança. É como fazê-la andar com uma perna amarrada”, diz.

O especialista é ainda mais radical ao atentar para as consequências dos pais serem permissivos em excesso. “Essa criança vai ficar chata, birrenta, gastona, depressiva e provavelmente drogada porque vai precisar de outra coisa para acalma-la porque ela não desenvolveu autonomia. Ela não manda de dentro pra fora no mundo. Ela precisa do outro”, ressalta.

Léo Fraiman critica ainda o vício com as tecnologias: “o tempo todo a criançada com celular ou tablet na mão, o tempo todo a criança é hiper estimulada, ela não se frustra nunca porque os pais de hoje, narcisicamente, por não saber, não querem que o filho fique chateado, brigado. É induzir o filho a uma doença, está errado, é criminoso. Do ponto de vista psicológico, é induzir uma criança a ser uma aleijada emocional”.

Para o psicoterapeuta, os pais erram, muitas vezes alegando falta de tempo, ao jogar a responsabilidade da educação no colo dos professores. “Essas crianças infernizam os professores e o pai fala: não deu tempo. Cara, não deu tempo de cuidar de uma criança e você quer que a professora cuide de 40? É o pai que educa. E a escola reforça”, enfatiza.

 

Parceria é fundamental 

Educadores e pedagogos são unânimes ao afirmar que a parceria entre família e escola precisa existir e nenhuma das duas pode se isentar. É preciso, no entanto, que os pais entendam que a base da educação é dada em casa. E a escola complementa, através de uma parceria que deve envolver diálogo, carinho e respeito.

Uma dica importante é a família procurar uma escola que se adapte ao perfil daquilo que acredita e vive. A escola, por sua vez, também deve deixar claro, desde o início, seu método, princípios e regras para que não haja frustração de nenhum lado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *