O que dizer às crianças sobre o futuro do planeta

Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.
Provérbios 22:6

Desde antes das eleições americanas Donald Trump é imprevisível, e as suas afirmações via Twitter prometem balançar as relações internacionais de Barack Obama. Em seu mini blogger, faz questão de aconselhar o atual presidente e expor de forma direta os seus diferentes pontos de vista sobre a segurança nacional e política. Ele critica a posição de Obama sobre Israel e a resolução que será votada no Conselho de Segurança da ONU. Nessa resolução, Israel é criticado por construir assentamentos em território palestino. A resolução pede, entre outras coisas que a construção de assentamentos deve parar imediatamente. Nos últimos anos, tais medidas têm sido vetadas pelo Estados Unidos, mas desta vez iriam se abster de votar.

Mas Israel não gostou. O primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu, disse que o EUA deveria votar contra a resolução da ONU e  Donald Trump tenta pressionar a administração de Barack Obama para favorecer Israel no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

“Esta resolução coloca Israel em uma posição negocial muito fraca e é extremamente injusto para os israelenses”, disse Trump.

Nunca um presidente eleito falou dessa forma a um presidente em pleno exercício das suas funções, colocando-o sob tanta pressão, declarando ao mundo o seu projeto de aumento da produção de armas nucleares. Vladimir Putin também afirmou que a Rússia deve melhorar as forças nucleares estratégicas e fortalecer o seu arsenal.

Vivemos tempos maus e o que ensinar para as nossas crianças? Enquanto nos preocupamos com as ações desorganizadas de predadores da natureza, com as mortes de milhares de irmãos espalhados pelo mundo, com a escassez das nossas fontes naturais, assistimos de camarote, grandes potências preocupadas em se organizarem para destruírem ainda mais.

Uma nova corrida armamentista se aproxima, e é sabido que durante a Guerra Fria, houve leilão de armas entre os Estados Unidos e a União Soviética.  Ainda não ficou claro se é uma quebra de braço ou um acordo entre Putin e Trump, mas é notório, que tais afirmações podem colocar em cheque o trabalho de quatro décadas dos presidentes americanos, tanto republicanos e democratas, que elaboraram fortes acordos para a eliminação progressiva dos seus arsenais nucleares.

O cenário político mundial nos leva a reflexões que mostram que a nossa luta é, e sempre será eterna. Muda os personagens, mas a briga pelo poder político e econômico continua prejudicando o povo.  É preciso que pessoas sérias se mobilizem pelo bem de todos, ou de uma ação fantástica de algum super-herói.  Mas, os super-heróis só existem nas historinhas infantis e nos filmes hollywoodianos. Uma coisa podemos ter certeza, a educação transforma as pessoas e estas mudam o mundo. Deve ser compromisso de todos os educadores preparar os próximos políticos mundiais para semear amor, e não armar os nossos jovens até os dentes para abater inocentes, digo “jovens”, porque nenhum governo sai do seu “trono” para pegar em armas. 

Coragem, ousadia não pode ser sinônimo de crueldade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *