Semana do autor: Conheça Claudia Cataldi e o livro ‘O Sol que queria tomar banho de Lua’

Semana do autor: Conheça Claudia Cataldi e o livro ‘O Sol que queria tomar banho de Lua’

set 01 | Larissa Vilarinho

A história de um livro é capaz de inspirar e transformar a vida de quem está lendo. Uma história pode passar diferentes lições e ensinamentos: como ser gentil com as pessoas, apoia-las, nunca desistir dos sonhos e lutar para realiza-los.

O livro da mestre em Ciência Política e Relações Internacionais, Claudia Catalti aborda a vontade de realizar um sonho de maneira lúdica.

“O Sol que queria tomar banho de Lua” fala sobre o maior sonho do Sol: tomar um banho de Lua. Como o próprio nome já diz.

O Sol estava cansado de ouvir as canções sobre o astro noturno e das pessoas comentando sobre como era admirar a Lua. A grande estrela amarela estava determinada a tomar banho de lua, então bolou um plano: se escondeu atrás de uma nuvem imaginando que isso faria a Lua aparecer.

Nós sabemos que há dois acontecimentos que fazem parte da nossa vida diariamente: de dia há o Sol e de noite há a Lua. E, sabemos também que para um aparecer, o outro precisa ir embora.

Já dá para imaginar o que aconteceu quando o Sol se escondeu: os dias se tornaram intermináveis e a Lua não aparecia de nenhuma maneira.

Diversas nuvens imploravam para a estrela ir embora e deixar a Lua surgir. A vida das pessoas estava sendo afetada, pois só havia dia. Porém apesar das tentativas das nuvens, o Sol não saia do lugar.

Para a Lua finalmente aparecer, o Sol foi preso por 12 horas. Durante o tempo na prisão, o delegado explicou gentilmente ao Sol que a sua magia era ter nascido para iluminar o mundo e que ele devia seguir o seu destino.

A estrela então entendeu o seu propósito e prometeu nunca mais fazer algo assim novamente. Ele então seguiu iluminando e trazendo alegria para as pessoas durante o dia.

Quem é Claudia Cataldi?

Fomos apresentados a história de Claudia, mas quem é a mente por trás dela? Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais, Claudia Cataldi é também apresentadora de TV e rádio e mãe de dois meninos.

Apesar de um currículo extenso e diversas experiências profissionais, sua verdadeira paixão é a escrita.

A relação com a literatura veio ainda criança, aos 6 anos, quando escreveu o primeiro livro. Sua publicação aos 42, despertou nela, um gigante adormecido, que nem a própria sabia que existia.

“Trazer para o imaginário do leitor, de forma leve e agradável, toda a criatividade que eu sempre nutri com o livro me enche de alegria. Ser uma das autoras da Colli Books me enche de alegria”, afirma.

A escrita

Para Claudia, quando ela coloca uma ideia dentro de um papel fechado por uma capa, está colocando ali o seu conhecimento, a sua experiência de vida em uma capa que será aberta e descoberta pelo leitor.

Na medida em que escreve e guarda ali sua ideia, sua vivência e sua relação com o mundo, Claudia diz que está oferecendo ao leitor – seja criança ou um jovenzinho -, a sua experiência de vida e leitura do mundo. Para ela, escrever é uma doação.

“Quando o leitor abre o livro, ele solta aquela ideia, ele liberta aquele pensamento, aquela sensação. Então, pra mim o processo de escrever é eu guardar dentro de uma capa a minha experiência de vida. E, quando o meu leitor abre aquela capa, ele liberta esse pensamento e esse pensamento deixa de ser só meu e passa a ser dele também, é uma doação para mim”, disse.

As ilustrações

Além da história, algo que faz toda a diferença em um livro voltado para o público infanto-juvenil são as ilustrações.

As artes de “O Sol que queria tomar banho de Lua” são obras do ilustrador Gustavo Millane. E, Claudia revela seu encantamento com os desenhos.

Segundo a autora, o colorido transmite o amor e carinho que sente no coração. Ela explica que as cores tem referências diretas com o sentimento.

“Dizem que o vermelho significa amor, o azul significa uma certa frieza, mas para mim não. O vermelho, o azul, verde e amarelo que são as cores principais do livro, estão representando em uníssono uma dança”, diz.

Ela diz que as cores estão representando uma complementaridade, uma dança, onde uma completa a outra.

“As frias e as quentes vão dando o tom, o sabor, a temperatura de amor e carinho que é tão pulsante dentro de mim. Eu adoro as ilustrações, elas refletem esse sentimento que é tão latente dentro do meu coração”, completa.

A relação com a Colli Books

A relação de Claudia com a Colli Books surgiu na feira do livro de Frankfurt que participou ao lado da escritora e diretora da editora, Isa Colli.

Durante o evento, Claudia comentou com Isa sobre a história de “O Sol que queria tomar banho de Lua” que foi inspirada em seus dois filhos e Isa adorou.

“Ela então me convidou para participar da editora, onde hoje sou uma das autoras e fico muito honrada e feliz com isso”, afirma.

O lançamento oficial de “O Sol que queria tomar banho de Lua” foi em setembro de 2019 durante a Bienal do Livro no Rio de Janeiro.

Na ocasião, ao lado de Isa, a autora concedeu algumas entrevistas para a mídia nacional e internacional sobre o livro e a bela amizade que possuem.

Como adquirir o livro?

Gostou da história e quer comprar ou dar de presente “O Sol que queria tomar banho de Lua” para alguém?

Você pode adquirir o livro pelo site da Colli Books ou em alguma loja de sua preferência, como a Amazon.

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail para receber novidades !

Português

Português

Português

Português

Português

English

Français


Português

English

Français

Português

English

Français

Português

English

Français