Entenda a gravidade das queimadas no Pantanal e saiba como ajudar

Entenda a gravidade das queimadas no Pantanal e saiba como ajudar

ago 21 | Larissa Vilarinho

“De nada adiantará o dinheiro se o ser humano não aprender a respeitar as leis da natureza. É ela que produz o seu alimento, o ar que você respira e a água que você bebe. A existência da vida depende exclusivamente da preservação das reservas naturais do nosso planeta.”

Essa frase causou impacto em você? Pois deveria. Ela foi retirada do livro “Vivene e Florine e suas descobertas na Amazônia”, da escritora Isa Colli. A história mostra as consequências do desmatamento na vida de todos os seres vivos – da natureza aos humanos.

As ações do homem vão causar a destruição da vida no planeta, algo precisa ser feito. Lembra de como começamos essa reportagem? O desmatamento, o uso indevido dos recursos naturais e as queimadas, estão transformando o planeta em uma bomba preste a explodir.

Destacamos as queimadas porque precisamos falar sobre a gravidade dessas ações. O Pantanal, a maior área úmida continental do planeta, está vivendo a sua maior tragédia em décadas.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) foram registrados mais queimadas no bioma nos sete primeiros meses de 2020 em comparativo ao mesmo período de anos anteriores, ao menos desde do fim dos anos 90 – quando a plataforma que se tornou referência para monitorar focos de calor no Brasil foi desenvolvida pelo Inpe.

Em julho, o Pantanal pegou mais fogo do que nos últimos 22 anos. De acordo com o Inpe foram registrados 1.684 focos de queimadas, em 2019 foram 494 focos.

Outro fator que preocupa é o nível das águas do rio Paraguai (principal formador do Pantanal), de acordo com a Marinha do Brasil, o nível chegou a 2,10 metros em junho – mês que costuma marcar o pico do rio ao longo do ano. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), foi a menor marca dos últimos 47 anos.

Amazônia


Você sabia que um dos fatores associados à falta de chuva no Pantanal e em outros biomas brasileiros é a degradação da Amazônia?

Vinícius Silgueiro, do Instituto Cento de Vida, explicou a BBC que com a aceleração do desmatamento da Amazônia, ao logo dos anos, o período de chuvas tem encurtado e as secas se tornaram mais severas na região central e sudeste do Brasil.

Números do sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real, do Inpe mostram que no primeiro semestre de 2020 foram registrados 3.069,57 km² de áreas sob alerta de desmatamento na Amazônia. Esse é o maior número no período nos últimos cinco anos.

“A Amazônia dá vida a, praticamente, todos os biomas do continente, incluindo o Pantanal. À medida que a floresta vai diminuindo e perdendo suas funções ecológicas, esse ‘serviço ambiental’ que ela presta também vai sendo alterado e se perdendo”, explicou Silgueiro a BBC.

Consequentemente, a situação da seca no Pantanal se torna ainda mais complicada por causa de uma triste recorrente na região: a expansão do desmatamento no bioma e em seu entorno.

Até 2019 foram desmatados 24.915 km² do Pantanal, correspondente a 16,5 % do bioma, segundo o Inpe. Para se ter dimensão da gravidade, esse número equivale a pouco mais de quatro vezes a área de Brasília.

Para entender ainda a gravidade do fogo no Pantanal, o maior refúgio mundial de araras-azuis foi destruído. O santuário concentra 15% da população livre da espécie, ameaçada de extinção.

Um dos animais mais atingidos com as queimadas são os repteis que não conseguem fugir do fogo.

Como ajudar?

O mais importante, antes de mais nada, é se conscientizar sobre a gravidade do assunto. Voltando a frase do início, lembre-se: A existência da vida depende exclusivamente da preservação das reservas naturais do nosso planeta.

Você pode ajudar a combater o desmatamento, as queimadas levando conscientização para as pessoas à sua volta.

Além disso, porque não seguir essas dicas tiradas do Manual de Sobrevivência das Espécies apresentado no livro “Vivene Florine e suas descobertas na Amazônia”:

Toda vida deve ser preservada ao máximo.

• A vida de todos nós depende do equilíbrio na natureza: um descontrole no meio ambiente traz consequências irreparáveis para todos os seres vivos: humanos, animais e vegetais.

• A água é mais importante que qualquer riqueza. Tudo na vida deve ser feito pensando em preservá-la.

• As plantas, desde uma árvore gigantesca até uma mínima erva, garantem que o planeta continue existindo, oferecendo oxigênio, proteção de nascentes de água, frutos, remédios, madeira.

Atitudes:

• Toda pessoa consciente de que tudo está interligado no planeta deve agir de acordo com essa consciência.

• Usar a água sem desperdício: ela é preciosa demais!

• Evitar o uso de material não reciclável: quanto menos lixo, melhor!

• Nunca, em nenhuma hipótese, jogar lixo na rua, na estrada, na calçada, no mato. Esse lixo pode acabar em um rio, o que é desastroso.

• Nunca, em nenhuma hipótese, deixar sacolinha plástica na beira do rio ou do mar. A poluição das águas é a principal causa de morte de peixes e tartarugas, que confundem esse lixo com alimento.

• Evitar o consumo de alimentos cultivados com o uso de agrotóxicos. Dar preferência a alimentos orgânicos (que não são tratados com produtos químicos). É uma prática difícil para quem mora nas cidades, mas o ser humano precisa deixar de comer alimentos intoxicados.

• Jamais comprar animais traficados. Filhotes de tartaruga, papagaio, arara e até cobra são arrancados do ninho e transformados em mercadoria, ou seja, vendidos. Isso é crime, além de ser uma atitude completamente contrária ao equilíbrio da natureza.

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail para receber novidades !

Português

Português

Português

Português

Português

English

Français


Português

English

Français

Português

English

Français

Português

English

Français