Adaptação na Educação Infantil – a importância deste momento na vida dos pequenos.

Adaptação na Educação Infantil – a importância deste momento na vida dos pequenos.

dez 27 | Miriam Costa Pinto

A Educação Infantil marca um novo tempo e uma experiência muito especial para a criança.

O brincar e o jogar estimulam o relacionamento social com o mundo e com àqueles que estão à sua volta, adquirindo e colocando em prática novos conhecimentos, representando situações do seu cotidiano, expressando seus sentimentos, suas fantasias e resolvendo seus conflitos.

O ingresso das crianças nas instituições tornou-se um evento para a família e pode gerar ansiedade tanto para elas, quanto para seus pais e professores. É o seu primeiro contato com um grupo social diferente de sua família. Em seus primeiros dias de aula é comum que a criança chore, pois sente a separação da família, vivenciando um sentimento de abandono e angústia.

A posição dos familiares neste tempo será muito importante para as crianças. Oferecer-lhes segurança, carinho e paciência será essencial.
 O período de adaptação durará aproximadamente de uma semana até 15 dias, podendo em alguns casos, ser maior ou menor. As reações podem variar muito, tanto em relação às manifestações emocionais quanto ao tempo necessário para se efetivar o processo, pois cada criança tem sua forma de encarar este desafio. Pode surgir neste período comportamentos diferentes daqueles que normalmente apresentam em seu ambiente familiar, como alterações de apetite; retorno às fases anteriores do desenvolvimento (voltar a urinar ou evacuar na roupa, por exemplo). Podem também, adoecer; isolar-se dos demais e criar dependência de um brinquedo, da chupeta ou de um paninho.
É natural que a criança manifeste uma certa dificuldade em se separar da mãe (ou pai), quanto menor for, maior a dificuldade. A tranquilidade e a segurança dos pais favorecem a separação transitória. Portanto , eles devem estar tranquilos de que a decisão tomada foi correta.
 Há mães que sentem mais a separação do que seus filhos e, mesmo que não cheguem chorar, seus olhos transmitem insegurança.

É importante que os pais e familiares conversem sobre este momento da criança e possam ser facilitadores neste processo, fortalecendo e incentivando a criança a se sentirem felizes ao lado dos coleguinhas um período do dia.
 Alguns diálogos podem ser trocados com os pequenos, para incentiva-los à desejar ir à escola como: você vai brincar, fazer coisas que não faz em casa, fazer novos amiguinhos, pintar, lanchar e ir ao parquinho, etc. Depois você conta tudo pra mamãe (ou pro papai, vovó, vovô…..).“ Quando a criança sabe que poderá contar tudo o que vai viver, sente-se mais segura, forte e feliz.

Será imprescindível, neste momento de adaptação, e até quando se fizer necessário, a presença da mãe, pai ou de alguém de confiança da criança para que ela possa enfrentar o novo ambiente junto de alguém com quem se sinta segura e, gradativamente se desligará de forma segura e eficaz, despedindo-se da pessoa que à acompanha sem maiores problemas. 
Os pais podem encontrar dificuldades de tempo para viver este processo por não poderem se ausentar muitos dias de suas atividades profissionais. Neste caso, seria importante que pudessem estar presentes, ao menos no primeiro dia, e que depois pudessem ser substituídos por alguém da confiança da criança.

Reflexões à família e professores:

*Ofereça à criança atitudes de confiança, deixando-a segura de que você vai voltar para buscá-la na escola. Afirme seu amor e do quanto ela é importante para a família;

*Comente sobre a escola e das coisas que ela irá fazer lá com entusiasmo, mas não crie ilusões dizendo que tudo será da forma como ela deseja. Explique que é um local coletivo e que haverá outras crianças com quem brincar e dividir a atenção;

*Participe do processo de adaptação do seu filho, sem pressa de que ele acabe logo;

*Respeite as orientações da escola e busque compreender a estratégia dos professores para que ajam em conjunto;

*Priorize não se atrasar nem na hora da entrada e nem na hora de buscar a criança. Isso fortalece a confiança dela nos pais e diminui qualquer desconforto como a ansiedade;

*Dialogue sobre como foi o dia da criança, pergunte e deixe-a falar em seu ritmo. Não responda por ela com afirmações, ex: você comeu todo o seu lanche? Pergunte: como foi a hora do lanche? Conte -me o que gostou mais em seu lanche;

*Explique mudanças de rotina à criança honestamente, mesmo ela sendo pequena mas, é claro, com uma linguagem adequada para cada faixa etária. As crianças percebem quando os pais não falam a verdade e isso costuma afetar a confiança e respeito que têm por eles.

Importante compreender que as crianças, apesar de pequenas, devem ser escutadas e acolhidas em suas necessidades como qualquer sujeito. Elas são indivíduos completos, com opiniões, preferências e emoções que não devem ser descartadas como menos importantes devido à idade. Estar em um  ambiente seguro irá possibilitar o desenvolvimento pleno de suas habilidades emocionais, sociais e cognitivas.

Fonte: 
Referencial Curricular Nacional / Educação infantil

http://naescola.eduqa.me/desenvolvimento-infantil/como-pais-e-professores-podem-facilitar-a-adaptacao-escolar/

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail para receber
novidades e baixe meu E-book Grátis.