Origem dos sobrenomes Costa e Minas

Origem dos sobrenomes Costa e Minas

mar 06 | Isa Colli

Independente do país onde vivemos, somos muito mais próximos do que imaginamos de outros povos. 

Esse não é um assunto que abordo normalmente no site, mas saber a verdade sobre as nossas origens, ainda é motivo de curiosidade, inclusive, me intrigava até alguns anos atrás. Muitos brasileiros não sabem de quais partes do mundo vieram as suas famílias.  

Então, aí estão algumas informações de dois sobrenomes da minha família, “Costa e Minas”. E, para todos que achavam que Minas surgiu das mineradoras das Gerais, frustram-se.

Conjurados de 1640

Este tópico está classificado nas salas: Pessoas | Eventos

Conjurados de 1640

#52868 | magalp | 30 Nov 2003 23:53

Porque tem o maior interesse para muitos dos frequentadores deste Fórum, transmito a cópia abaixo:

“Archivo do Conselho Nobiliarchico de Portugal”
1925
________________________________________

OS RESTAURADORES DE 1640
E SEUS
ACTUAIS REPRESENTANTES

Dom Afonso de Menezes, Mestre de Sala d’el Rei Dom João 4º. A sua representação está na Casa dos Viscondes de Vila Nova do Souto d’el Rei.

Dom Álvaro de Abranches da Câmara, General do Minho, do Conselho de Guerra, foi quem desfraldou a Bandeira de Portugal no Castelo de S. Jorge, representado actualmente por Dom Nuno de Paula da Sylva Tello de Noronha, 6º Marquês de Vagos.

Dom Antão de Almada, Governador da Cidade, embaixador a Inglaterra, proprietário do Palácio de São Domingos, onde foram as últimas reuniões dos restauradores e de onde saíram, na madrugada gloriosa do 1º de Dezembro. Representante: Dom Lourenço Vaz de Almada, 6º Conde de Almada e 18º Conde de Avranches.

Dom António de Alcáçova, que passou a servir na Índia, representado pelo 7º Conde de Lumiares, Manuel da Cunha e Menezes.

Dom António Álvares da Cunha, Senhor de Táboa. Representante: Dom António de Menezes.

Dom António da Costa, representado por Dom Luís da Costa de Sousa de Macedo, Conde de Mesquitela.

Dom António Luís de Menezes, 3º Conde de Cantanhede, 1º Marquês de Marialva, o vencedor de Montes Claros, representado por Dom Caetano de Bragança, 5º Duque de Lafões.

Dom António Mascarenhas, Comendador de Castelo Novo na Ordem de Cristo, representado por Dom Caetano de Bragança, 5º Duque de Lafões.

António de Mello e Castro, Capitão de Sofala, Governador da Índia, representado pelo 8º Conde das Galveias, José de Mello e Castro de Avillez.

António de Saldanha, Alcaide-mor de Vila Real, General da Armada que foi à Ilha Terceira fazer a Restauração, Governador da Torre de São Vicente de Belém, é hoje representado por João de Saldanha de Oliveira e Sousa (Rio Maior).

António Telles da Sylva, 1º e último Conde de Vila Pouca de Aguiar, Capitão das Naus da Índia, Governador do Brasil, 3º filho de Luís da Sylva, Senhor de Unhão, e de Dona Mariana de Lencastre que o armou Cavaleiro. A sua representação está nos descendentes de seu irmão mais velho. É portanto o seu representante, Dom José Telles da Gama, 15º Conde da Vidigueira e 11º Marquez de Niza.

Dom António Tello, Capitão-mor das Naus da Índia, representado por Dom Nuno de Paula da Sylva Tello de Noronha, 6º Marquez de Vagos.

Ayres de Saldanha, Comendador e Alcaide-mor de Soure, morto na batalha de Montijo, cuja representação estava há anos na Casa dos Condes da Ega.

Dom Carlos de Noronha, Comendador de Marvão, presidente da mesa da Consciência e Ordens, representado por Dom Nuno de Paula da Sylva Tello de Noronha, 6º Marquez de Vagos.

Fernão Teles da Silva, 1º Conde de Vilar Mayor, Governador das armas da província da Beira, Mordomo-mor da Rainha Dona Luísa, filho 2º de Luís da Sylva, Senhor de Unhão e de Dona Mariana de Lencastre, por quem foi armado Cavaleiro. Representado pela 12ª Senhora Condessa de Tarouca, Dona Eugénia Telles da Sylva.

Dom Francisco Coutinho, filho de Dona Filipa de Vilhena que o armou Cavaleiro e a seu irmão Dom Jerónimo de Ataíde, 16 Conde de Athouguia. Representado por Dom Vicente Gonçalves Zarco da Câmara, 9º Conde da Ribeira Grande.

Francisco de Melo, Monteiro-mor, proprietário da casa onde a princípio se reuniam os conspiradores. O seu representante é o 3º Marquês de Olhão e de Valada, José da Cunha de Mendonça e Menezes.

Francisco de Melo e Torres, 1º Conde da Ponte, Marquês de Sande, General de Artilharia na Província do Alentejo, representado pelo Conde da Ponte, Manuel Ferrão Castello Branco.

Dom Francisco de Noronha, irmão do 3º Conde dos Arcos, representado pela senhora D. Maria do Carmo de Noronha, 11ª Condessa dos Arcos.

Francisco de São Payo, representado pelo 6º Conde de São Payo, Manoel António de São Payo Melo e Castro Torres de Lusignan.

Dom Francisco de Sousa, 1º Marquês de Minas, 3º Conde do Prado, Védor d’el Rei Dom João 4º, Embaixador a Roma, cuja representação está na Casa dos Marqueses de Minas.

Dom Gastão Coutinho, Governador do Minho, restaurador em Cascaes, a representação está na Casa dos Marqueses de Minas.

Gomes Freire de Andrade, a sua representação está na Casa dos Condes de Bobadela.

Dom Jerónimo de Ataíde, 6º Conde de Athouguia, do Conselho d’el Rei, Governador de Traz-os-Montes, filho da Condessa viúva de Athouguia, Dona Filipa de Vilhena, que o armou Cavaleiro para entrar na Revolução, representado por Dom Vicente Gonçalves Zarco da Câmara, 9º Conde da Ribeira Grande.

Dom João da Costa, 1º Conde de Sousa, do Conselho da Guerra, Embaixador a Luís 14º de França, Gentil-homem do Infante Dom Pedro, representado pelo 3º Marquez de Borba, Fernando de Sousa Coutinho.

João Rodrigues de Sá e Menezes, 3º Conde de Penaguião, Camareiro-mor dos Reis Dom João 4º e Dom Afonso 6º, representado por Dom João de Lencastre, 8º Marquês de Abrantes.

João de Saldanha da Gama, Capitão de Cavalaria no Alentejo, morto na batalha do Montijo, representado pelo Conde da Ponte, Manuel Ferrão Castello Branco.

João de Saldanha e Sousa, Mestre de Campo na batalha de Montijo, representado por João Saldanha de Oliveira e Sousa, senhor da Casa dos Marqueses de Rio Maior.

Jorge de Melo, General das galés, do Conselho de Guerra, irmão de Francisco de Melo, representado pelo 3º Marquês de Olhão, José da Cunha de Mendonça e Menezes.

Dom Luís de Almada, filho de Dom Antão de Almada, representado por Dom Lourenço Vaz de Almada, 6º Conde de Almada e 18º Conde de Avranches.

Luís da Cunha de Ataíde, Senhor de Povolide, filho de Tristão da Cunha de Ataíde, que também foi Restaurador, representados por Dom Nuno de Paula da Silva Tello de Noronha, 6º Marquez de Vagos.

Luís de Mello, Porteiro-mor, representado pelo Visconde de Castello Novo.

Dom Manuel Child Rolim, a sua representação está na Casa dos Duques de Loulé.

Martim Affonso de Mello, 2º Conde de São Lourenço, Alcaide-mor de Elvas, Gentil-homem do Príncipe Dom Pedro, representado pelo 10º Conde de São Lourenço, António Vasco José de Mello.

Dom Miguel de Almeida, Conde de Abrantes, do Conselho de Estado, Mordomo-mor da Rainha Dona Luiza, era o mais velho dos Conjurados. É hoje seu representante o 8º Marquez de Abrantes, Dom João de Lancastre.

Nuno da Cunha de Ataíde, 1º Conde de Pontével, do Conselho da Guerra, Estribeiro-mor da Infanta Dona Isabel Josefa, filho 2º de Tristão da Cunha de Ataíde e irmão de Luiz da Cunha de Ataíde, Restauradores, representado por Dom Nuno de Paula da Silva Tello de Noronha, 6º Marquez de Vagos.

Pedro de Mendonça Furtado, Alcaide-mor de Mourão, Guarda-mor d’el Rei, na ausência do Conde de Vila Nova. A representação deste senhor está na Casa dos Viscondes de Souto de El-Rei.

Dom Rodrigo da Cunha, Arcebispo de Lisboa, representado por Dom António de Menezes, actual herdeiro do título de Conde da Cunha.

Rodrigo de Figueiredo de Alarcão, Senhor de Ota, representado por Dom José de Figueiredo Cabral da Câmara, 4º Conde de Belmonte.

Dom Tomaz de Noronha, 3º Conde dos Arcos, Conselheiro de Estado e da Guerra, Presidente do Conselho Ultramarino, Gentil-homem do Príncipe Dom Teodósio, representado pela senhora Dona Maria do Carmo de Noronha, 11ª Condessa dos Arcos.

Tomé de Sousa, Védor da casa real, Trinchante-mor, Governador de Angola, Senhor de Gouveia do Tâmega, representado pelo 3º Marquez de Borba, Fernando de Sousa Coutinho.

Tristão da Cunha de Ataíde, Senhor de Povolide, Comendador de São Cosme de Gondomar, representado por Dom Nuno de Paula da Silva Tello de Noronha, 6º Marquez de Vagos.

Tristão de Mendonça, Embaixador à Holanda, representado por Manoel António de São Payo Mello e Castro, 6º Conde de São Payo.

___________________________

D. José Manuel de Noronha e Brito de Menezes d’Alarcão (Arcos)

Obra citada, Vol. I, págs. 81 a 86

http://genealogiaminas.blogspot.be/  http://genealogiaminas.blogspot.be/

 

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail para receber
novidades e baixe meu E-book Grátis.