A face oculta do Facebook

A face oculta do Facebook

dez 29 | Isa Colli

O Facebook virou um fenômeno mundo afora. Jovens, velhos e até crianças, todos estão conectados. A rede social é uma maneira interessante de fazer amigos, manter contato, expressar-se, compartilhar emoções, mas também tem uma face oculta negativa e perigosa.

Os primeiros que correm perigos são os adolescentes porque são numerosos e os mais ativos nesta rede social, que é a mais usada do mundo. Eles são, portanto, as primeiras vítimas em potencial. Podem sofrer assédio moral, ser insultados, receber imagens obscenas, entre outros.

Mais importante ainda, os adolescentes compartilham assuntos pessoais sem se dar conta de que sua privacidade está exposta publicamente. Isso sem considerar que os jovens rebeldes ainda usam as ferramentas disponíveis para insultar seus contatos ou para denegrir a reputação de colegas.

As escolas estão preocupadas com a repercussão negativa das redes sociais na vida dos seus educandos, visto que a exposição de conflitos e disputas na web levam a excessos reais, problemas que nem sempre têm um final feliz.

 

Roubo de identidade

O Facebook é o paraíso dos ladrões. Ele é usado frequentemente para apropriação indevida de fotos ou o roubo de identidades. Para fingir ser outra pessoa, basta criar um perfil falso em nome dessa pessoa e começar a adicionar “amigos”.

 

Pedofilia

O Facebook tem aspectos positivos e divertidos, mas esta rede social infelizmente também é arriscada porque traz consigo um grande perigo: a pedofilia. Os adolescentes mais vulneráveis ​​são alvos fáceis para pedófilos e infratores sexuais. Quanto às estatísticas de órgãos públicos de vários países, eles mostram que uma dúzia de crianças por ano são vítimas de violência sexual de um pedófilo depois de se conhecerem na Internet.

 

Facebook diminui a capacidade de concentração

Muitas crianças passam mais tempo no Facebook do que fazendo a lição de casa. À noite, depois da escola, elas fazem sua lição de casa navegando pelo Site. Por conseguinte, seria impossível concentrar-se totalmente nas tarefas escolares. Uma pesquisa recente* revela que 52% dos adolescentes de 13 a 17 anos admitem ir ao Facebook enquanto estudam. E 35% confessaram que fazem isso pelo menos 30 minutos todos os dias durante as aulas.

 

Facebook, o inimigo dos casais

Um estudo mostrou ainda que o uso do Facebook estimulava ciúmes e desconfiança em casais. Quanto mais tempo uma pessoa gasta neste site, mais desconfiados eles se tornam de seu parceiro. Parece que a sensação de não ter mais exclusividade causa dificuldade no casal. Quando você revela sua intimidade, seu cônjuge pode se sentir excluído ou sentir que você compartilha mais com seus amigos virtuais do que com ele. Este site é ainda mais arriscado do que um site de namoro porque pode criar uma intimidade virtual muito rapidamente.

 

Como proteger as crianças dos perigos potenciais do Facebook?

Os pais precisam conversar com seus filhos sobre tudo, inclusive a Internet. O Facebook é apenas mais um perigo a que o seu filho está exposto na rede. Vale avisá-los sobre as armadilhas ocultas e explicar as ferramentas que eles têm para proteger sua privacidade nas mídias sociais.

Acima de tudo, é importante controlar o tempo de uso e vigiar o acesso.

 

* pesquisa: TIC Kids Online, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br)

 

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail para receber
novidades e baixe meu E-book Grátis.