Escritora de Presidente Kennedy tem livro lançado na Europa

13287944_10201742678925199_1157124773_oA inquietação move a escritora e jornalista natural de Presidente Kennedy Isa Colli, radicada em Bruxelas, que tem 21 livros escritos e sete publicados. O mais recente, “O Pirulito das Abelhas”, foi lançado na 86ª Feira do Livro de Lisboa, pela Editora Chiado. Até outubro serão lançados “Felícia e a fazenda do Senhor Zicão”, e “Mirela, a gatinha feliz”, além do romance “Uma segunda Chance”.

O Pirulito das Abelhas é uma fábula que estimula a imaginação através de uma viagem ao mundo da fantasia, com abordagem do empreendedorismo e incentivo às parcerias e união, para o alcance dos melhores resultados. Tudo de forma lúdica e linguagem envolvente.

Esse livro é o talento dessa operária das letras, como se define, sendo reconhecido. A escritora recebeu muitos nãos de editoras até receber o tão esperado e-mail.

“Você é uma pintora de palavras, que a cada pincelada dá vida a personagens cheios de energia e vigor. Seja bem-vinda ao grupo de escritores Chiado. Teremos imenso prazer em publicá-la”.

00017E a Editora Chiado foi extremamente feliz ao descrever Isa Colli. Ela é exatamente isso: uma pintora de palavras que presenteia o leitor com personagens envolventes e apaixonantes, que ensinam sempre com leveza e muita delicadeza.

Jornalista de formação, ela trabalhou em outras áreas e todas foram importantes para a consolidação de sua trajetória de escritora, mas foi uma doença grave, quando pensou que poderia ter a vida abreviada, que a afastou do emprego na antiga TVE (atual TV Brasil) e a levou a acreditar na incerta carreira de “operária da escrita”.

“Hoje cuido carinhosamente das palavras. Escolhi escrever por acreditar e defender que as mudanças tão necessárias ao nosso país passam pela leitura e pela Educação de qualidade”.

Isa Colli diz que não é a questão financeira que a impulsiona, pois ainda ganha o que sempre ganhou no mercado de trabalho. “Escrever, para a maioria, ainda não pode ser considerada uma carreira. Mas é um processo de libertação da criatividade e dos sentidos”.

Determinada e batalhadora, a escritora diz que a luta de um profissional por espaço é longa e muitas vezes frustrante, mas que ela resolveu acreditar, mesmo quando escreveu um livro que foi rejeitado por várias editoras, que lançou de forma independente e vendeu cinco mil cópias. “Hoje está sendo reeditado e traduzido para outros idiomas”.

Uma vitória para a menina do interior, leitora assídua desde a infância e escritora cujo talento já é reconhecido. Prova disso é a venda dos seus livros em várias livrarias da Europa.

Fonte: Viva Cachoeiro

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.