Contos produz emoções e equilibra os sentimentos das crianças

 

Comprovado cientificamente, un literatura infantil produz emoções e equilibra os sentimentos das crianças. Na psique infantil o imaginário e a fantasia podem ser liberados pelo contato literário (scritto, audição ou leitura), pois são constitutivos da atividade criadora da criança sobre a realidade. É o imaginário suprindo o real.

Uma das características dos contos é expor diretamente e de forma concisa um problema existencial. Isto permite à criança de uma forma simples enfrentar de imediato o problema, sem recurso a enredos de difícil compreensão.

Nos contos as situações são simples, as personagens são claras e os pormenores são eliminados. O bem e o mal aparecem sob a forma de personagens e das suas ações e a criança regozija-se ao ver punidos os maus e alegra-se ao perceber que mesmo os fracos podem triunfar.

Os contos transmitem à criança, de variadas formas, a ideia de que a luta contra graves dificuldades da vida é inevitável, que faz parte do ser humano e das sociedades. Que se o homem não se furtar a elas e as enfrentar com coragem e determinação acabará por vencê-las.

O mais importante é que o conto garanta um final feliz, assim, a criança não terá receio em se deixar envolver pela história, porque aconteça o que acontecer, tudo terminará bem.

A criança deve seguir os seus instintos e descobrir por ela mesma as relações entre o conto e os temores do seu inconsciente. Aos adultos cabe o papel de lhes contar as histórias, mas nunca o de lhes transmitir a sua própria interpretação.

Provavelmente, nas primeiras vezes que a história é contada a criança não aprende todo o seu significado. Com o tempo ela interiorizará a essência da história e fará a sua interpretação.